Como a energia solar é aplicada no agronegócio no Brasil?

imagem Como a energia solar é aplicada no agronegócio no Brasil?

O agronegócio no Brasil é extremamente forte e muito importante para a economia do país. Em 2021, o PIB (Produto Interno Bruto) do agronegócio nacional teve um crescimento de 8,36%, com uma participação de 27,4% em todo o PIB nacional — a maior desde 2004.¹

Apesar disso, são vários os desafios que os produtores rurais precisam enfrentar. E, sem dúvida, um dos mais impactantes é a energia. Além dos problemas comuns enfrentados por outros setores, como o aumento constante do custo da energia, o agronegócio enfrenta um desafio adicional: a segurança energética.

Afinal, nem sempre a distribuição oferecida pelas concessionárias é adequada. Visto que as propriedades rurais ficam mais afastadas, não é incomum que sofram com quedas e oscilações ou até a falta de fornecimento, o que impacta diretamente na produção.

Hoje, uma saída comum do setor é complementar a geração com geradores a diesel. Uma solução pouco prática, cara (considerando as constantes elevações do preço dos combustíveis) e poluente, indo contra a tendência de transição energética do setor.

Por tudo isso, as fontes de energia renováveis, especialmente a energia solar, tornam-se uma importante aliada — principalmente os sistemas que combinam geração fotovoltaica com armazenamento em baterias, dispensando a necessidade do gerador a diesel. Ficou interessado? Então, siga conosco!

Como funciona a energia solar para o agronegócio?

Um sistema de energia solar pode ser, basicamente, de dois tipos: on-grid e off-grid. No agronegócio, outro modelo tem se tornado muito procurado: o sistema híbrido. Entenda as diferenças entre cada um deles.

On-grid

O sistema on-grid é o que permanece ligado à rede de distribuição de energia elétrica.

Ele funciona desta forma: as placas fotovoltaicas captam a luz solar e a transformam em corrente elétrica. O inversor transforma essa corrente em uma que possa ser usada para alimentar os equipamentos elétricos.

Então, o montante de energia produzido é injetado na rede. O que você produzir de energia a mais e não usar receberá em créditos de energia, caso esteja na modalidade de geração distribuída.

Durante à noite, ou em períodos nos quais não há geração de energia solar, como dias nublados, sua propriedade é abastecida com a energia padrão da concessionária. No fim do mês, a concessionária faz as contas de quanto você consumiu dela e quanto tem de crédito para elaborar o quanto deverá pagar.

Se o sistema for bem otimizado e o consumo da unidade concentrado no período diurno, seus créditos serão suficientes para arcar com o seu consumo, reduzindo a conta de energia elétrica em até 90%.

Off-grid

O sistema off-grid é o que funciona de forma isolada. Ou seja, ele não está ligado à rede da concessionária.

Assim, as placas fotovoltaicas e o inversor produzem a energia elétrica, e ela é distribuída aos equipamentos e usos que você fará.

Por não estar ligado à rede, não é possível injetar o excedente, ou seja, caso a geração em um dado momento seja maior que o consumo, o excedente de energia será desperdiçado.

Nesse sentido, o sistema híbrido – combinando solar com armazenamento de energia – pode ajudar a evitar desperdícios de geração e garantir o fornecimento quando não há geração solar, tanto no modelo on-grid quanto off-grid. Isso porque o sistema conta com baterias que armazenam o excedente produzido. Durante à noite, ou quando o sistema não conseguir produzir energia, as baterias entram em ação.

Outra vantagem é que, caso haja falhas ou quedas na interrupção da concessionária, as baterias são uma opção. Isso garante que sua propriedade nunca ficará sem energia elétrica.

Qual escolher?

A escolha do modelo ideal de sistema de energia solar depende dos usos que você fará dessa energia e das características da sua propriedade rural.

Em locais que não têm distribuição de energia, o sistema off-grid é o único possível.

Já se a sua propriedade sofre com as oscilações na distribuição de energia, o sistema híbrido é uma excelente escolha, pois garante que sua propriedade não ficará sem energia. E, de quebra, pode chegar a dispensar o uso de geradores a diesel.

As baterias usadas nesse sistema são muito robustas e menos poluentes. Isso traz segurança energética e ajuda a reduzir os custos.

Quais as aplicações da energia solar no agronegócio no Brasil?

Em uma propriedade rural, a energia solar pode ser usada para diferentes demandas. Veja algumas das possibilidades.

Irrigação

Muitos projetos de irrigação apresentam um alto custo de manutenção. Afinal, os sistemas convencionais usam energia elétrica para fazer o bombeamento de água. Com isso, os gastos com energia elétrica acabam impactando sobremaneira a produção.

A energia solar pode ajudar bastante nesse sentido. É possível usar placas fotovoltaicas para gerar energia capaz de movimentar as bombas e alimentar os projetos de irrigação.

Eletrificação de cercas

Manter as propriedades rurais seguras é indispensável. Por isso, as cercas elétricas são muito presentes no meio rural. Mas, para mantê-las em funcionamento, é preciso ter energia.

Nos locais em que o abastecimento é falho e há constantes quedas, é preciso lançar mão dos geradores. E, se você não quiser usá-los, acabará com uma falha significativa na segurança.

Novamente, a energia solar se torna uma aliada. Você pode tanto usar a energia gerada pelo seu sistema fotovoltaico padrão, para toda a propriedade, como lançar mão de eletrificadores solares. O sistema é formado por apenas um painel solar, um controlador de carga e uma bateria.

Esse é um minissistema que funciona desconectado da rede da concessionária, garantindo proteção 24 horas à sua propriedade.

Outras possibilidades

Dentro de uma propriedade rural, são inúmeros os locais em que a energia é requisitada. Como nos maquinários, estufas, sistemas de refrigeração, tanque de expansão para a produção leiteira, sistemas de oxigenação para os peixes na piscicultura, entre outros.

Todos esses podem ser abastecidos pela energia solar — o que garante mais segurança energética e possibilidade de expansão da produção.

Além disso, a geração fotovoltaica pode ser usada para abastecer a casa e outros barracões dentro da propriedade, como postos de venda.

Quais as vantagens de usar a energia solar no agronegócio?

Já deu para notar que são vários os benefícios que a energia solar traz ao agronegócio no Brasil, não é mesmo?

Afinal, o nosso país conta com uma grande insolação solar, de norte a sul. Segundo o Atlas Solar, o Brasil possui mais de 3 mil horas de sol ao longo do ano. Ou seja, um grande potencial para transformar o uso dessa matriz energética. Confira os benefícios trazidos para o produtor rural.

Autonomia para o produtor

A segurança energética ainda é um dos principais entraves para o agronegócio no Brasil. Não são raros os casos de fazendas que perderam suas produções por oscilações ou quedas de energia — especialmente em sensores sensíveis, a exemplo da piscicultura e da pecuária leiteira.

Quando o produtor conta com um sistema fotovoltaico, sobretudo os modelos off-grid híbridos, ele tem a certeza de que poderá contar com a energia elétrica sempre que precisar.

Agricultura de precisão

A agricultura de precisão consiste em usar tecnologia de ponta e automação para medir e melhorar as produções.

Com esses sistemas, por exemplo, o agricultor consegue monitorar os dados e entender as melhores ações a serem tomadas para expandir os ganhos com as safras, melhorar a qualidade do solo, entre outros pontos.

Contudo, essas tecnologias precisam de um recurso vital: eletricidade. Sem ter acesso a ela ou com um sistema de distribuição falho, é mais difícil para os agricultores contarem com essas soluções.

Se a sua fazenda tiver um sistema de energia solar, você poderá começar a aproveitar os ganhos de informatizar o campo.

Aumento da produtividade e da qualidade

Ao ter segurança energética e a possibilidade de investir em novas tecnologias, o produtor rural consegue planejar e escalar a sua produção. Ou seja, é possível produzir mais e com qualidade. O resultado? Melhora nos ganhos.

Redução de custos e aumento da competitividade

Além de ter segurança energética, com um sistema fotovoltaico, é possível reduzir gastos com energia. Afinal, as tarifas estão cada vez mais altas no nosso país, o que causa impactos para os produtores.

Os sistemas de energia solar têm um período de retorno rápido e alta durabilidade. Assim, dentro de poucos anos, você já terá pago o investimento e poderá começar a colher os lucros.

Ao reduzir os custos para produzir, é possível, também, aumentar competitividade e lucratividade.

Sustentabilidade e marketing verde

A sustentabilidade está em alta em toda a sociedade. Na produção rural, não poderia ser diferente. Cada vez mais os consumidores buscam por opções sustentáveis e naturais — isso pode ser visto, por exemplo, com a expansão dos orgânicos.

Se a sua propriedade rural utiliza energia fotovoltaica, você pode usar isso no marketing do seu negócio, por estar de acordo com as principais tendências para o setor, utilizando-se, também, da energia limpa, que é possível graças à dispensa do diesel, altamente poluente.

Por que esse é o momento certo de investir em energia solar?

Se você chegou até aqui, já deve ter notado que a energia solar é uma aliada importante para a expansão do agronegócio no Brasil.

A outra boa notícia que temos para dar é que este é o melhor momento para investir em soluções fotovoltaicas.

Justamente porque, recentemente, houve a aprovação do Marco Legal da Geração Distribuída (Lei 14.300), que traz muito mais segurança jurídica em relação aos créditos de energia.

Antes da lei, quem tinha um sistema on-grid conseguia compensar os créditos sobre 100% da energia que consumia. Mas as concessionárias de energia não se sentiam satisfeitas com a situação, porque elas tinham que arcar com os custos em relação à distribuição dessa energia.

Com a aprovação da lei, criou-se um sistema de “pedágio”. Ou seja, agora os consumidores terão de pagar uma taxa às concessionárias por esses serviços de distribuição. Porém, os valores serão progressivos, de acordo com a data em que a instalação do sistema fotovoltaico foi feita.

Para quem instalar antes de janeiro de 2023, há uma isenção dessa taxa por 25 anos. Então, o momento ideal para fazer essa aquisição é agora.

Conclusão

Neste conteúdo, você viu como a energia solar é importante para o agronegócio no Brasil. Afinal, inúmeras propriedades sofrem com as oscilações na distribuição da energia das concessionárias. E muitas nem sequer são atendidas.

Assim, os sistemas fotovoltaicos conseguem oferecer segurança energética ao mesmo tempo em que dispensam a necessidade do uso de geradores a diesel — que são caros e poluentes.

Essa energia limpa pode ser aplicada em diferentes setores da propriedade. Com isso, temos economia, mais produtividade e criação de um diferencial para o seu negócio rural.

Agora que você já conhece o potencial da energia solar para o agronegócio no Brasil, que tal levar essa solução para a sua propriedade? Conheça os serviços da GreenYellow!

¹ https://www.cnnbrasil.com.br/business/pib-do-agronegocio-brasileiro-tem-crescimento-de-83-em-2021/

Posts relacionados

Otimizando a Eficiência Energética: Retrofit de Chillers nas Lojas GPA

Carros elétricos e a infraestrutura de carregamento: desafios e oportunidades

Eficiência energética na arquitetura para hotéis

Como funciona telhado solar para empresas?